Arquivo de Abril, 2011

Sessão de autógrafos de Leonilde Santos

Feira do Livro de Lisboa | Tenda dos Pequenos Editores
Dia 1/5, Domingo, às 18h00.

Leonilde Santos escreveu uma história que pretende transmitir a todas as crianças o significado de sermos “todos iguais, todos diferentes”. Venham conhecer a autora e pedir-lhe um autógrafo no seu livro, “PomPom e os Coelhinhos Brancos”.

Disponível em: http://www.sitiodolivro.pt/pt/livro/pompom-e-os-coelhinhos-brancos/9789892021386/

PomPom e os Coelhinhos Brancos

Esta é a história do coelhinho PomPom, um coelhinho diferente pois tem uma cor diferente dos restantes amiguinhos. Pompom com a sua coragem e o seu bom coração, conseguiu que os outros coelhinhos o vissem como igual. Uma história que pretende transmitir a todas as crianças o significado de sermos ‘todos iguais, todos diferentes’.

Sessão de autógrafos de Carmen Trigo

Feira do Livro de Lisboa | Tenda dos Pequenos Editores
Dia 1/5, Domingo, às 18h00.

Convidamos todos os amigos, fãs e leitores da autora para esta sessão em que autografa o seu primeiro livro, “Vitaminas para o Espírito”.

Disponível em: http://www.sitiodolivro.pt/pt/livro/vitaminas-para-o-espirito/9789892020112/

Vitaminas para o Espírito

«Na busca da sua sobrevivência o ser humano está a evoluir de forma bastante diferente do que se pensava. Nos últimos estudos de neurologia, sociologia, antropologia, etc…, comprovou-se que está cada vez mais: altruísta, generoso, simpático e disposto a colaborar. Embora esta realidade ainda não seja evidente na economia e política reinantes surgem, como cogumelos, exemplos deste novo espírito de conduta a cada minuto. O livro, Vitaminas para o Espírito, de Carmen Trigo, traduz de forma simples e maravilhosa este “cuidar dos outros”. Com as suas Vitaminas, numa escrita do coração, faz-nos ultrapassar a nossa vulnerabilidade actual o que é fundamental para o sucesso da Humanidade. Muitos Parabéns!» (Ruth Calvão, escritora)

Jean-François Revel

“O que tomamos como justiça é, muitas vezes, uma injustiça cometida em nosso favor.”

Jean-François Revel

Jean-François Revel

Destacámos hoje, quando passam 5 anos da sua morte, este incontornável filósofo e sociólogo francês, que também se distinguiu como jornalista e romancista. Membro da Academia Francesa de Letras, sempre polémico e provocador, mas realista e objectivo, foi um dos mais lúcidos críticos da teoria marxista e do pensamento socialista. Dos seus livros mais célebres e esclarecedores, serão a “Obsessão Antiamericana”, em que confronta os mitos com as realidades da sociedade norte-americana e a “A Grande Parada”, onde procura elucidar os motivos para a sobrevivência da ideologia socialista, mesmo após a queda do regime soviético.

Bibliografia de Jean-François Revel

Calendário das próximas sessões de autógrafos dos nossos Autores, na Feira do Livro de Lisboa (no Espaço dos Pequenos Editores):

– 29-Abril, 18h00: Lou Alma autografa “VerseJando Pelos Caminhos da Alma”
http://www.sitiodolivro.pt/pt/livro/versejando/9789899703704/

– 01-Maio, 18h00: Leonilde Santos autografa “Pompom e os Coelhinhos Brancos”
http://www.sitiodolivro.pt/pt/livro/pompom-e-os-coelhinhos-brancos/9789892021386/

– 01-Maio, 18h00: Carmen Trigo autografa “Vitaminas para o Espírito”
http://www.sitiodolivro.pt/pt/livro/vitaminas-para-o-espirito/9789892020112/

Nuno Júdice

Jogo

”Eu, sabendo que te amo,
e como as coisas do amor são difíceis,
preparo em silêncio a mesa
do jogo, estendo as peças
sobre o tabuleiro, disponho os lugares
necessários para que tudo
comece: as cadeiras
uma em frente da outra, embora saiba
que as mãos não se podem tocar,
e que para além das dificuldades,
hesitações, recuos
ou avanços possíveis, só os olhos
transportam, talvez, uma hipótese
de entendimento. É então que chegas,
e como se um vento do norte
entrasse por uma janela aberta,
o jogo inteiro voa pelos ares,
o frio enche-te os olhos de lágrimas,
e empurras-me para dentro, onde
o fogo consome o que resta
do nosso quebra-cabeças.”

(Nuno Júdice, in “A Fonte da Vida”)

Nuno Júdice

Nuno Júdice

É poeta, ensaísta e académico, foi Conselheiro Cultural da Embaixada de Portugal e Director do Instituto Camões, em Paris. A sua estreia literária deu-se com ”A Noção de Poema” (1972). Em 1985, receberia o Prémio Pen Clube e o Prémio D. Dinis, da Casa de Mateus, em 1990. Em 1994, a Associação Portuguesa de Escritores distinguiu-o pela publicação de ”Meditação sobre Ruínas”, finalista do Prémio Europeu de Literatura Aristeion. Assinou ainda obras para teatro e traduziu autores como Corneille e Emily Dickinson.

Foi Director da revista literária ”Tabacaria”, editada pela Casa Fernando Pessoa e Comissário para a área da Literatura da representação portuguesa à 49.ª Feira do Livro de Frankfurt. Tem obras traduzidas em Espanha, Itália, Venezuela, Inglaterra e França.

No dia em que celebra o seu 62.º aniversário, destacamos e damos os parabéns a Nuno Júdice.

Bibliografia de Nuno Júdice

Sessão de autógrafos de Lou Alma

Feira do Livro de Lisboa | Tenda dos Pequenos Editores
Dia 29/4, 6.ª feira, às 18h00.

Primeira das sessões de autógrafos dos nossos Autores que irão decorrer na Tenda dos Pequenos Editores. Aqui deixamos o convite a todos os amigos, fãs e leitores da autora.

“VersejAndo Pelos Caminhos da Alma” é uma viagem aos sentires, aos sentidos que podemos tomar, quando em frente às bifurcações da vida, são necessárias escolhas para continuar o caminho. É uma tentativa de perceber o mundo através do olhar e da escrita de uma mulher inquieta, apaixonada pela vida e pela beleza das pequenas coisas que são a essência do ser. Partindo daquela que deve ser a base das relações humanas, na opinião da autora, o amor, atravessam-se horizontes onde se perspectivam emoções, passando pelas várias nuances do ser mulher, numa sociedade onde estão cada vez mais em risco as diferenças que nos caracterizam e que desprezam demasiadas vezes o orgulho que devemos ter nas raízes que a alimentam.”

À venda na nossa livraria online:
http://www.sitiodolivro.pt/pt/livro/versejando/9789899703704/

Roberto Bolaño

Roberto Bolaño

Roberto Bolaño

Escritor chileno, venceu o Prémio Rómulo Gallegos pelo seu romance “Os Detectives Selvagens”, que descreveu como uma carta de amor à sua geração. Foi considerado por seus pares o mais importante autor latino-americano de sua geração.

Já não pôde receber o prestigiado National Book Critics Circle Award, o da Fundación Lara, o Salambó, o Ciudad de Barcelona, o Santiago de Chile ou o Altazor, atribuídos a “2666”, unanimemente considerado o maior fenómeno literário da última década.

O Washington Post comparou “2666” às obras mais ambiciosas do século XX, saídas do génio de Proust, Musil ou Joyce. Escreveu ainda que, com este livro, Bolaño se “juntou aos imortais”. Foi considerado o “livro do ano”, para alguns “o livro da década” ou, então, “o primeiro grande romance do século XXI”. Foi um fenómeno mundial que lançou o seu nome que era até então praticamente desconhecido.

Falecido em 2003, tinha na altura 50 anos, relembramo-lo, hoje, no dia em que faria 58 anos.

Bibliografia de Roberto Bolaño

The Evolution of the Book

“We put this video together for a publishing conference, to show that while the format of the book is changing, the things that we take from books remain constant. The evolution of the medium is shown, from antiquity to ebooks, using extracts and references from thirty five books and series published by Hachette’s companies – see if you can identify them all!” (via http://youtu.be/PF9Q3LcOAQ8)

Morris West

“A liberdade mais difícil de conservar é a de nos enganarmos”.

Morris West

Morris West

Escritor australiano de renome mundial, nascido em 1916 e falecido em 1999. Em 1955, abandona a Austrália para prosseguir na sua carreira de escritor, indo então viver para diversos sítios, passando pela Áustria, Itália, Inglaterra e Estados Unidos da América. Depois de publicada a sua primeira obra, sente-se incentivado a publicar outras, seguindo-se mais vinte e oito outras obras.

Para além de novelista, destacou-se ainda pelas obras dramáticas, publicando cinco no total, pelas obras de não ficção, onde se pode encontrar um texto plenamente autobiográfico, e por diversos guiões de adaptação de obras suas ao cinema, de onde se destacam principalmente as adaptações de The Devil’s Advocate (1978), The Second Victory (1986) e Cassidy (1989).
(in http://www.infopedia.pt/$morris-west)

No dia em que faria 95 anos, destacamos Morris West.

Bibliografia de Morris West

QUER PUBLICAR UM LIVRO? Nova sessão de esclarecimento.

81.ª Feira do Livro de Lisboa

É já na próxima 5.ª feira que arranca a Feira do Livro de Lisboa. E nós vamos lá estar, na Tenda dos Pequenos Editores! Visitem-nos para conhecerem as mais de cem obras já publicadas por nosso intermédio.

Alejo Carpentier

Alejo Carpentier

Alejo Carpentier

Diz-se que após ler a obra de Alejo Carpentier, Gabriel García Márquez terá deitado para o lixo o seu primeiro manuscrito de “Cem Anos de Solidão” e começado outra vez do zero.

Novelista e ensaísta cubano e, também, jornalista, músico e crítico de arte, a sua literatura, frequentemente associada ao “realismo fantástico”, abordou a realidade americana, descobrindo a magistralidade de um continente, onde o surpreendente se podia encontrar a cada passo. Ganhou inúmeros literários prémios, entre os quais, o Cervantes e o Médicis Étranger, o mais alto galardão Francês para escritores estrangeiros e permitiu uma comunicação entre o velho continente e a América, em matéria de cultura.

Chegou a ser preso político, em 1928, conseguindo fugir para França, para onde acabou por regressar, mais tarde, já na época do regime Castrista, como adido cultural, aí vindo a morrer, cumprem-se hoje 31 anos.

Bibliografia de Alejo Carpentier

Halldór Laxness

Halldór Laxness

Halldór Laxness

É um verdadeiro mágico das palavras, usa uma vasta gama de estilos, conseguindo sempre surpreender o leitor e detém uma imaginação e recursos técnicos inesgotáveis. Venceu o Nobel de Literatura em 1955, justificando-o a Academia “pelo seu poder épico vivido que renovou a grande arte narrativa da Islândia”. Passam hoje 109 anos do seu nascimento e não teríamos melhor escolha para distinguir, no Dia Mundial do Livro.

Bibliografia de Halldór Laxness

Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor

Dia Mundial do Livro 2011

Em 23 de Abril, comemora-se internacionalmente, por iniciativa da UNESCO, o “Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor”, com o objectivo de promover a leitura, a publicação de livros e a protecção dos direitos autorais. Foi escolhida esta data porque, neste mesmo dia do ano de 1616, morreram Miguel de Cervantes, William Shakespeare e Garcilaso de la Vega.

Não podemos deixar de nos associar com veemência, por todas as razões, a esta comemoração, antes de mais, felicitando todos os muitos autores que já publicaram obras através do SitiodoLivro.pt. A eles devemos o nosso tributo pela confiança que lhes merecemos, pelo denodo do seu empreendimento e pelo talento da sua arte.

Aos nossos muitos clientes, amigos e fãs, queremos também reconhecer o interesse com que nos têm seguido e apoiado e agradecer-lhes as suas críticas, contribuições e comentários, sempre úteis, pertinentes e oportunos.

Bem hajam.

Jennifer Egan, Prémio Pulitzer de Ficção de 2011

Jennifer Egan

Jennifer Egan

Jennifer Egan, escritora norte-americana, venceu esta semana a edição de 2011 do prestigiado Prémio Pulitzer de Ficção, com o seu livro “A Visit From the Goon Squad”, ainda não publicado em Português. O júri justificou a escolha, afirmando que se trata de “uma investigação inventiva sobre o crescer e o envelhecer na era digital, mostrando uma curiosidade generosa sobre as mudanças culturais a uma velocidade vertiginosa”.

Bibliografia de Jennifer Egan

Vamos estar na Feira do Livro! De 28 de Abril, a 15 de Maio, no Parque Eduardo VII.

81.ª Feira do Livro de Lisboa

A menos de uma semana do início da próxima Feira do Livro de Lisboa, anunciamos que voltaremos a estar presentes na Tenda dos Pequenos Editores, expondo todas as obras já publicadas por nosso intermédio. E vários dos nossos autores irão proporcionar aos seus amigos e leitores sessões de autógrafos que, a seu tempo, serão antecipadamente comunicadas. Aqui fica, desde já, o nosso convite para que nos visitem e, caso vos interesse, também se esclareçam sobre o nosso modelo editorial de auto-publicação.

Este ano, o horário de abertura da Feira será:
2.ª a 5.ª Feira: 12h30 – 23h00;
6.ª Feira: 12h30 – 24h00;
Sábado: 11h00 – 24h00;
Domingo: 11h00 – 23h00.

Informamos ainda que o desconto geral de Feira a praticar nos livros em venda é de 20%. Contamos convosco.

Guillermo Cabrera Infante

«A minha ideia de felicidade é estar sentado sozinho no vestíbulo de um velho hotel depois de um jantar tardio (…). É então que, na obscuridade, fumo em paz o meu charuto.»

Guillermo Cabrera Infante

Guillermo Cabrera Infante

Um dos grandes expoentes da literatura cubana, chegou a apoiar a primeira fase da Revolução Castrista, mas acabou rompendo com Fidel Castro, tornando-se um dos seus maiores críticos, após o que renunciou à carreira diplomática, exilando-se definitivamente na Europa, em Londres, muito decepcionado com o regime Cubano e nacionalizando-se britânico. Tinha começado por estudar medicina, mas dedicou-se à escrita, ao jornalismo e ao cinema, tendo então chegado a usar, para iludir a censura política, o pseudónimo de G. Caín, antes de ser nomeado, pelo governo de Fidel, adido cultural em Bruxelas.

A sua vocação literária manifestou-se desde muito cedo e é autor de uma vasta obra que se desenvolve em muitos géneros, desde ensaios, a crónicas, guiões ou romances, de entre os quais o celebérrimo “Três Tristes Tigres”, ao qual chamava “TTT” e que originariamente se denominou “Ella cantaba boleros”. Celebramos hoje, na data em que cumpriria 82 anos, este escritor, galardoado, em 1997, com o Prémio Cervantes.

Bibliografia de Guillermo Cabrera Infante

Charlotte Brontë

Charlotte Brontë

Charlotte Brontë

O seu livro mais afamado, uma autobiografia ficcionada com um enredo melodramático e que lhe granjeou êxito imediato, foi “Jane Eyre”, mas toda a sua obra reflecte a sua revolta contra uma infância, vivida juntamente com as duas irmãs, Emily e Anne, reclusa, reprimida e taciturna. Tentaram depois fundar uma escola, mas sem êxito e decidiram-se então pela escrita, como forma de sobrevivência, material e existencial.

Os seus livros, alguns romances famosos e um volume de poesia escrito a meias com as irmãs, caracterizaram-se por tratarem de mulheres em conflito com os seus desejos e a sua condição social e marcaram o início de uma nova etapa no romance do século XIX. Passam hoje 195 anos do seu nascimento.

Bibliografia de Charlotte Brontë

Paul Celan

À NOITE O TEU VENTRE…

“À noite o teu ventre é castanho da febre de Deus.
A minha boca agita tochas sobre a tua face.
Nada pesa a quem nunca ouviu uma canção de embalar.
Com a mão cheia de neve e incerto

como os teus olhos azuis, à hora redonda,
dirigi-me a ti. (A lua de outrora era mais redonda.)
O milagre soluça nas tendas vazias,
o jarrinho do sonho enregelou – que fazer?

Lembra-te: uma folha enegrecida pendia no sabugueiro
belo sinal para a taça do sangue.”

(Tradução de Luís Costa)

Paul Celan

Paul Celan

Considerado um dos mais importantes poetas de língua alemã do Pós-guerra, vencedor do Prémio Georg Büchner, em 1960, romeno de nascimento, o seu verdadeiro nome era Paul Antschel, de cuja pronúncia derivou o seu pseudónimo. Viu os seus pais morrerem tragicamente em campos de concentração nazis, devido à sua origem judia e também ele esteve então detido e sujeito a trabalhos forçados, tendo sido libertado pelos soviéticos. Decepcionado com o regime comunista, em cuja ideologia socialista tinha antes militado, refugiou-se primeiro em Viena e depois fixou-se em Paris, onde veio a suicidar-se, por afogamento no rio Sena, fazem hoje 41 anos.

A sua obra, composta por mais de 800 poemas, evoca de forma muito marcada e singular o sofrimento judeu no Holocausto e, em especial, o drama da sua própria vivência. Tendo chegado a estudar medicina na juventude, foi ainda, para além de grande poeta, um consagrado tradutor de autores russos, italianos, franceses, ingleses e romenos. Entre muitos dos grandes poetas que traduziu, encontra-se também Fernando Pessoa.

Bibliografia de Paul Celan

Sven Hassel

Sven Hassel

Sven Hassel

Ao cumprir hoje 94 anos, destacamos um escritor dinamarquês, muito lido nos anos 70 e 80, cujos romances, alegadamente autobiográficos, resultam da sua experiência militar, durante a 2.ª Guerra Mundial, ao serviço do exército nazi, em que se alistou voluntariamente, em 1937, para escapar do desemprego e depois de ter de se naturalizar alemão. Mais tarde, veio a render-se aos soviéticos, tendo sido ferido em combate várias vezes, nas diversas frentes de batalha em que esteve envolvido.

A sua escrita é insuperável na narração das tensões bélicas e na descrição detalhada e brutal dos horrores da guerra e pode ser considerado, definitivamente, um grande mestre no seu género literário. Apesar da popularidade que alcançou, recentemente tem-se polemizado, no seu país, a veracidade da sua biografia, assim como a autenticidade da sua obra. Desde 1964, vive em Barcelona e já escreveu 14 livros, traduzidos em 17 línguas e publicados em 50 países, de que se venderam mais de 52 milhões de exemplares.

Bibliografia de Sven Hassel


O SitiodoLivro.pt

Insira aqui o seu endereço de email para seguir o Blogue e receber notificações dos novos artigos por email.

Siga-nos no Twitter

Quer publicar um livro? Saiba como aqui

Esclareça-se aqui como comprar-nos livros

Conheça as modalidades de pagamento que aceitamos

Para qualquer questão, contacte-nos desde já

Categorias

Arquivo por meses


%d bloggers like this: