Arquivo de Maio, 2018

Sessões de autógrafos dos nossos autores na Feira do Livro de Lisboa, no dia 02-Junho

Visite-nos no Espaço dos Pequenos Editores (Pavilhão C01), às 17h00.

clique nas imagens para conhecer os autores e os seus livros

banner_FB_FLL_2018_O_Estranho_Caso_do_Botão_de_Punho_02

banner_FB_FLL_2018_A_Aldeia_e_a_Infância_02

Apresentação do livro “A Aldeia e a Infância”, de José Luís da Costa Sousa

4.ª feira, dia 30-Mai, às 18:30, na Livraria Ferin (Rua Nova do Almada, 70, 1249-098 Lisboa)

José Luís da Costa Sousa, especialista e docente de educação física em diversas instituições de ensino, em Portugal e nos PALOP, publica o seu primeiro livro, intitulado “A Aldeia e a Infância”, onde retrata, em contos ficcionados, o papel marcante das aldeias na formação cognitiva, emocional e comunitária das pessoas que nelas vivem a sua infância.

A sessão contará com a participação do Prof. Dr. Carlos Neto.

Clique na imagem para antever o livro e conhecer o autor

banner_FB_Aldeia_e_a_Infância_Livraria_Ferin_03

Sinopse

A aldeia e a infância são lugar e tempo que a criança associa a felicidade. Eventuais ruídos e dificuldades têm como resultante ‘paradoxal’ mais ação, mais sorrisos e mais ternura identitários.

A aldeia confronta a criança com quebra-cabeças, fazendo-se-lhe desafio e aventura. Olha a vila como utopia tangível, como lua, misteriosa, a desvendar e, se mais animosa, como sol que lhe ilumina o caminho. A aldeia profunda, acima de padre, professor e regedor, é construção de relações que, como processo, vai de nascimento a morte para produzir a cultura rural. Esta, por sua vez, afirma-se como fator de socialização e pertença comunitárias.

Sessões de autógrafos dos nossos autores na Feira do Livro de Lisboa, no dia 27-Maio

Visite-nos no Espaço dos Pequenos Editores (Pavilhão C01), às 16h00.

clique nas imagens para conhecer os autores e os seus livros

banner_FB_FLL_2018_Aberto_Sousa_02

banner_FB_FLL_2018_História_de_um_Mundo_que_Passa_02

Sessões de autógrafos dos nossos autores na Feira do Livro de Lisboa, no dia 26-Maio

Visite-nos no Espaço dos Pequenos Editores (Pavilhão C01), às 17h00.

clique nas imagens para conhecer os livros e os seus autores

banner_FB_FLL_2018_África_Médicos_e_Memórias_02

banner_FB_FLL_2018_O_Berço_Onde_Nasci_02

Venha conhecer as nossas novidades, na Feira do Livro de Lisboa

Estaremos presentes, como habitualmente, no Espaço dos Pequenos Editores (pavilhão C01), no Parque Eduardo VII, de 25-Mai a 13-Jun. E, ao longo deste tempo, iremos anunciando as sessões de autógrafos dos nossos autores.

banner_FB_FLL_convite_03

clique na imagem para aceder ao nosso site

Novo livro de Alberto Sousa, “Pneumologia – Fusão entre Medicina Energética e Convencional”

clique na imagem para ver ou adquirir o livro e conhecer o autor

banner_FB_Pneumologia

Um compromisso assumido com o Dr. Tran Viet Dzung é a origem da publicação dos temas por ele desenvolvidos, desta feita Pneumologia com ênfase na Bronquite, Pneumopatia infeciosa, Pneumopatia pneumocócica, Asma, Dispneia paroxística e Dispneia contínua.

Destaca-se a importância que esta temática pode ter na vida das pessoas em geral e, sobretudo, nas que dedicam as suas vidas a estudar na área da saúde, procurando contribuir para o bem-estar das que sofrem, muitas vezes sem entenderem porquê. O objetivo desta pequena obra é satisfazer todos os que procuram ser o mais úteis possível à atual sociedade.

“Metamorfose na Praça”, um romance de Olímpio Fernandes

clique na imagem para ver ou adquirir o livro e conhecer o autor

banner_FB_Metamorfose

Nestes tempos, em que Lisboa, cidade cada vez mais integrada num mundo globalizado e em metamorfose, há um ex-gestor que, para se divertir, aceita trabalhar como motorista a transportar pessoas e bagagens.

O livro – que também pode ser visto como um relatório ficcionado de um tempo vertiginoso a correr sobre rodas, pelas ruas, num trabalho frenético – faz por surpreender com uma sucessão interligada de histórias que a generosidade dalguns passageiros inspira, quando pedem ajuda, falam do que os surpreende ou fazem inconfidências.

O protagonista interage com diversas personagens citadinas, donde desponta a preocupação, por vezes dramática, por um pouco do que concorre para a melhor ou pior qualidade da vida urbana e social. Fortemente sentido pelos moradores e utentes é o incómodo das obras que tornarão Lisboa mais cosmopolita. Todavia esta metrópole revela-se ainda pouco consciente do que fazer para mitigar e adaptar-se às alterações climáticas.

Sem olvido do que vai pelo mundo e pelo país no que respeita aos grandes problemas do Ambiente, os incêndios florestais do país são abordados com paixão e perplexidade.

Não falta um bando de malfeitores incendiários a complicar a acção principal. Mas se as peripécias são divertidas, já quando a realidade é difícil ou impossível de enfrentar, e para gáudio do leitor, nesta ficção a acção pode passar, de forma nítida, para o nível da fantasia.

Apresentação do livro “Lisboa a Oriente”, de José Manuel Moreno

Terça-feira, 22 de Maio às 21:30, no Casino Lisboa (Alameda dos Oceanos, nº 45, Parque das Nações, 1800 Lisboa)

José Manuel Moreno, natural de Mértola, jurista de formação, desde cedo desenvolveu uma intensa atividade associativa integrada na sua zona de residência em Lisboa oriental e é atualmente Deputado na Assembleia Municipal de Lisboa. Decidiu agora publicar uma obra dedicada à história daquela zona, conhecida atualmente como Parque das Nações, que intitulou “Lisboa a Oriente – Memórias do Passado”, em que relata e retrata algumas das suas “marcas ou memórias” e traz ao “conhecimento dos leitores episódios e imagens do seu passado”.

Clique na imagem para antever o livro e conhecer o autor

LisboaOriente_facebook

“Twenty-First Century Fictional Tales”, um livro de Elsa Guimarães de Moura

clique na imagem para ver ou adquirir o livro e conhecer a autora

banner_FB_Twenty_First_Century_Tales

Os contos ficcionais do século XXI são uma colectânea de histórias multiculturais do novo milénio que ocorrem em vários países e dimensões cronológicas, algumas para crianças e adolescentes, outras para adultos. As suas personagens são frequentemente argutas, astutas, espirituosas, inteligentes, irónicas, cómicas, adoráveis, meigas e doces.

Apresentação de “O Sonho Europeu”, de Rogério Barros da Costa

Quinta-feira, dia 17-Mai,  às 18:30, na Livraria Ferin (Rua Nova do Almada, 70, 1249-098 Lisboa)

Depois dos seus trabalhos anteriores, Rogério Barros da Costa, europeísta convicto, traz agora a lume a sua nova obra, controversa mas arrojada, “O Sonho Europeu”, em que defende “propostas marcantes para a construção de uma Europa digna do seu nome, do seu passado e daquele que deve ser o seu lugar neste planeta em mutação estratégica. Identificando na moeda única europeia o principal obstáculo à construção de uma Europa una na diversidade, parafraseando o lema da União Europeia, faz uma proposta ousada que não só reforça a credibilidade do Euro, como contribui para a o reforço e alargamento de uma Europa de Lisboa a Vladivostok, num projecto de Paz que o crescimento demográfico universal exige”.

A apresentação do livro estará a cargo do Dr. João Vieira Pereira (Diretor-adjunto do jornal Expresso).

Anteveja o livro e conheça o autor clicando na imagem

banner_FB_Sonho_Europeu_01

“A Inquisição Portuguesa em face dos seus Processos”, obra referencial de Arlindo Correia

clique na imagem para ver ou adquirir os livros e conhecer o autor

banner_FB_A-inquisição-Portuguesa_03

Arlindo Correia, licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra, desenvolveu a sua profissão como quadro superior e dirigente das Finanças, tendo cumprido, nesse contexto, algumas missões no estrangeiro. Após a sua saída daquele Ministério, desempenhou vários cargos na Comissão Europeia e, já reformado, concluiu a sua carreira como advogado.

Um dos seus hobbies preferidos consistiu em investigar toda a documentação disponível sobre a Inquisição em Lisboa, vindo a compilar, nesta publicação – uma obra monumental e ímpar, com quase 2.400 páginas em 3 volumes, intitulada “A Inquisição Portuguesa em face dos seus Processos”, – o seu estudo bastante exaustivo, onde pretende desmistificar o entendimento corrente da “Santa” Inquisição, revelando, de forma surpreendente, o desígnio autêntico daquela instituição.

Nova obra de João Ferreira do Amaral, já nas livrarias

clique na imagem para ver o livro e conhecer o autor

banner_FB_História_de_Portugal_01

O período de quase seiscentos anos que vai das invasões bárbaras do nosso território até ao ano mil, não tem, em geral – com honrosas exceções – concitado o interesse dos historiadores do nosso país.

Na tentativa de contribuir para uma melhor compreensão desta época crucial da nossa História, em que se forjaram as bases do que mais tarde virá a ser a nacionalidade portuguesa, decidimos escrever uma síntese geral do período, envolvendo nessa síntese o norte cristão e o sul islâmico, a História Política e a História Económica e Social, os grandes movimentos sociais e alguns percursos de vida individuais.

Damos também a nossa visão do que foi a evolução lenta, mas inexorável, do processo de senhorialização, e das suas relações com o estado medieval, no que se refere, em particular, ao norte do nosso território, e abordaremos alguns aspetos quantitativos da estrutura económica, sem qualquer pretensão de rigor, que seria descabida, mas com a intenção de fornecer termos de comparação objetivos para melhor se compreender a sociedade da época.

Duas novas obras de José Rodrigues Duarte

clique nas imagens para ver ou adquirir os livros e conhecer o autor

banner_FB_Caderno_de_Saudades_01

Outrora a imigração era uma fuga de um mau estar para a incerteza de um bem-estar! Com o único objetivo de melhorar a situação financeira. Mas isto é do passado!

Atualmente, num mundo cada vez mais globalizado, as pessoas viajam para trabalhar e melhorar as suas economias, mas também para estudar ou obter novos conhecimentos, tornando-se a emigração uma nova forma de viver a Vida.

[…] Na história da emigração o Homem sempre lutou para melhorar a sua integração, praticando a tolerância para encontrar a felicidade.

banner_FB_As_minhas_duvidas_e_certezas_01

Há pessoas que estão sempre felizes e de bom humor o que às vezes até chateia porque para elas está tudo bem. A vida implica sofrimento ou esforço para ultrapassar os desafios constantes que nos colocam à prova. A condição humana tem subjacente a inconformidade, ou seja, a procura constante da Felicidade, aprendendo com os erros, sofrimentos e adversidades para se ser Feliz. A procura de prazeres “negativos”, ou seja, a ausência de dor, de infelicidade coloca-nos numa situação neutra, numa busca de harmonia e paz, ainda que efémera.

Apresentação do livro “A Aldeia e a Infância”, de José Luís da Costa Sousa

4.ª feira, dia 09-Mai, às 14:30, na Escola Superior Náutica Infante D. Henrique (Av. Engenheiro Bonneville Franco, 2770-058 Paço de Arcos)

José Luís da Costa Sousa, especialista e docente de educação física em diversas instituições de ensino, em Portugal e nos PALOP, publica o seu primeiro livro, intitulado “A Aldeia e a Infância”, onde retrata, em contos ficcionados, o papel marcante das aldeias na formação cognitiva, emocional e comunitária das pessoas que nelas vivem a sua infância.

A sessão contará com a participação do Eng.º Viana do Couto.

Clique na imagem para antever o livro e conhecer o autor

banner_FB_Aldeia_e_a_Infância_Escola_Náutica_01

Sinopse

A aldeia e a infância são lugar e tempo que a criança associa a felicidade. Eventuais ruídos e dificuldades têm como resultante ‘paradoxal’ mais ação, mais sorrisos e mais ternura identitários.

A aldeia confronta a criança com quebra-cabeças, fazendo-se-lhe desafio e aventura. Olha a vila como utopia tangível, como lua, misteriosa, a desvendar e, se mais animosa, como sol que lhe ilumina o caminho. A aldeia profunda, acima de padre, professor e regedor, é construção de relações que, como processo, vai de nascimento a morte para produzir a cultura rural. Esta, por sua vez, afirma-se como fator de socialização e pertença comunitárias.

Apresentação de “pedaços de escrita”, nova obra poética de Emanuel Góis

Sábado, dia 05-Mai, às 16:00, na Biblioteca Municipal do Barreiro (Urbanização do Palácio do Coimbra, Rua da Bandeira – 2830-330 Barreiro)

Com a publicação da presente obra, Emanuel Góis volta à sua vertente poética, como forma de exprimir, na escrita, aquilo que considera serem “Pedaços” das suas vivências, emprestando a cada poema os sentimentos reveladores da sua faceta romântica.

Em “pedaços de escrita”, como o próprio autor refere, “ser poeta não é escrever; ser poeta é sentir”.

A sessão contará com a participação da Dr.ª Helena Gonçalves

Para antever o livro e conhecer o autor, clique aqui na imagem

banner_FB_Pedaços_de_Escrita

Novo livro de António de Vasconcelos Costa, “Encontro no Caminho da Vida”

banner_FB_Encontro_01.png

clique na imagem para ver ou adquirir o livro e conhecer o autor

 

Apresentação do livro “A Aldeia e a Infância”, de José Luís da Costa Sousa

Sábado, dia 05-Mai, às 15:00, na Faculdade de Motricidade Humana (Estrada da Costa, Oeiras)

José Luís da Costa Sousa, especialista e docente de educação física em diversas instituições de ensino, em Portugal e nos PALOP, publica o seu primeiro livro, intitulado “A Aldeia e a Infância”, onde retrata, em contos ficcionados, o papel marcante das aldeias na formação cognitiva, emocional e comunitária das pessoas que nelas vivem a sua infância.

A sessão contará com a participação do Prof. Dr. Carlos Januário.

Clique na imagem para antever o livro e conhecer o autor

banner_FB_Aldeia_e_a_Infancia_Fac_Motricidade

Sinopse

A aldeia e a infância são lugar e tempo que a criança associa a felicidade. Eventuais ruídos e dificuldades têm como resultante ‘paradoxal’ mais ação, mais sorrisos e mais ternura identitários.

A aldeia confronta a criança com quebra-cabeças, fazendo-se-lhe desafio e aventura. Olha a vila como utopia tangível, como lua, misteriosa, a desvendar e, se mais animosa, como sol que lhe ilumina o caminho. A aldeia profunda, acima de padre, professor e regedor, é construção de relações que, como processo, vai de nascimento a morte para produzir a cultura rural. Esta, por sua vez, afirma-se como fator de socialização e pertença comunitárias.


O SitiodoLivro.pt

Insira aqui o seu endereço de email para seguir o Blogue e receber notificações dos novos artigos por email.

Siga-nos no Twitter

Quer publicar um livro? Saiba como aqui

Esclareça-se aqui como comprar-nos livros

Conheça as modalidades de pagamento que aceitamos

Para qualquer questão, contacte-nos desde já

Categorias

Arquivo por meses


%d bloggers like this: