Fernando Dacosta

“O mundo está a jeito de ditaduras alcançáveis por voto, por terrorismo, por demagogia, por coacções de imprevisíveis consequências.”

Fernando Dacosta

Fernando Dacosta

Jornalista premiado e escritor galardoado, tem mais de 20 livros publicados nos géneros de reportagem, teatro, romance, narrativa e conto.

Trabalhou em vários jornais e revistas como Diário de Lisboa, Diário de Notícias, A Luta, JL, O Jornal, Público, Visão, entre outros. Colaborou em vários programas de rádio, de que se destaca Café Concerto, de Maria José Mauperrin, na Rádio Comercial, nos anos 80. Na RTP, em 1991/2, apresentou uma rubrica sobre literatura. Dirigiu os “Cadernos de Reportagem” e foi co-editor das edições Relógio de Água.

Em 2005, foi agraciado pelo Presidente da República com a Comenda da Ordem do Infante D. Henrique. Falamos de Fernando Dacosta quando celebra o seu 66.º aniversário.

Bibliografia de Fernando Dacosta

Anúncios

4 Responses to “Fernando Dacosta”


  1. 1 miguel carvalho 18/10/2013 às 23:48

    Não pode (não deve) haver memórias selectivas. Mas parece que já não há memória do estranhamente “desaparecido” livro do Rui Mateus. Nada de investigação, nada de julgamento, menos ainda de condenação. Muito menos a muito esperada republicação. Porquê? Não há respostas, porque, curiosamente, parece que estão proibidas as perguntas. Na prática estão mesmo. Em Itália, um chefe de governo socialista, Benito Craxi, morreu no exílio, fugido à Justiça, que o julgara e condenara. Acho que devíamos ter vergonha. E os olhos bem abertos. Os dois. Cumprimentos.

    Gostar

  2. 2 miguel carvalho 18/10/2013 às 23:52

    Betino Craxi, perdão…

    Gostar

  3. 3 miguel carvalho 20/10/2013 às 03:37

    Pena que seja mais um a fazer silêncio sobre o livro do Rui Mateus. Autêntica conspiração de silêncio, autêntica “omertá”.

    Gostar

  4. 4 Miguel Costa 22/10/2013 às 16:23

    Mas a democracia foi sempre um sistema suicidário. Encerra em si mesma a própria destruição. A não ser que seja meramente formal, como é o nosso e a maioria dos casos. E não há nada pior nem mais cínico que uma ditadura “democrática”, em que o voto pode ser atirado à cara do eleitor responsabilizando-o pela iniquidade do resultado. É, aliás, a prática corrente.

    Gostar


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




Insira aqui o seu endereço de email para seguir o Blogue e receber notificações dos novos artigos por email.

O SitiodoLivro.pt

Seja nosso fã no

Quer publicar um livro? Saiba como aqui

Conheça todas as novidades editoriais na nossa livraria

Os nossos e-books

Procura um livro que não encontra? Peça-nos

Encomende os livros escolares connosco

Esclareça-se aqui como comprar-nos livros

Para qualquer questão, contacte-nos desde já

Conheça as modalidades de pagamento que aceitamos

Arquivo por meses

Categorias

Siga-nos no twitter

Erro: Twitter não está a responder. Por favor espere alguns minutos e recarregue esta página.


%d bloggers like this: